Libras “quebra” o silêncio entre colegas e une turma de escola de Viana

Folha Vitória
Redação Folha Vitória

Noticia_20160810-1_ImagemQuem já se imaginou sem conseguir ouvir o barulho da chuva, a música preferida ou a explicação de um professor durante a aula? Difícil, né? Mas essa é a realidade de Vitória Arruda Farias e Ana Júlia Da Silva, alunas da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Doutor Denizart Santos, em Industrial, Viana.

Pensando em “quebrar” esse silêncio e melhorar a comunicação entre os alunos, a Secretaria Municipal de Educação inseriu a Linguagem Brasileira de Sinal (Libras) no dia a dia da escola. Os alunos aprendem a se comunicar com os colegas com deficiência auditiva.

O diretor da unidade de ensino, Fabrício Nascimento, explica que as alunas com deficiência auditiva já contavam com uma intérprete de Libras nas aulas, mas sentiu a necessidade de incluir a linguagem para os demais alunos da instituição.

“A iniciativa foi tomada após um pedido de uma das alunas surdas, e no início deste ano letivo criamos um momento para ensinar Libras para todos os alunos da escola”, contou.

O diretor explica, ainda, a importância da inclusão da Linguagem de Sinais no dia a dia escolar e como a atividade é desenvolvida na escola.

“A inclusão da linguagem promove a sociabilização dos alunos deficiente auditivo com os alunos não surdos e diminuindo assim a distância entre eles”.

A iniciativa recebeu a aprovação dos estudantes, que entenderam a necessidade de aprender a linguagem para se comunicar com as alunas deficientes. Tainá da Silva Gonçalves é colega de classe de Ana Júlia e contou que se aproximou ainda mais da colega. “Nossa comunicação foi facilitada com a inclusão de Libras na escola. Passamos mais tempos juntas durante as aulas de Educação Física e recreio”.

Fonte: http://m.folhavitoria.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *