Estudantes do PR vencem concurso da ONU com aplicativo para ensinar matemática em Libras

O estudante paranaense Carlos Eduardo de Carvalho venceu a Maratona Unicef Samsung 2020 com o MatemáTIC Libras, um aplicativo que ensina a matéria usando a linguagem dos sinais.

Carlos é deficiente auditivo desde os 5 anos de idade, sempre gostou de matemática e sentia dificuldade em aprender as lições devido a falta de inclusão para o alfabeto em Libras.

Ele, então, recebeu um convite pra lá de especial. A professora Viviane Fuly montou um projeto no Instituto Federal do Paraná (IFPR) para desenvolver mais acessibilidade aos alunos com surdez. Carlos ficou de setembro de 2019 até junho de 2020 desenvolvendo o aplicativo.

Não seria a criação de sinais novos, mas a organização de um sinalário acessível que os intérpretes usariam como fonte de pesquisa. Isso porque, um intérprete não fica apenas soletrando palavras, mas precisa aprender sobre o curso e sobre cada disciplina a fim de ensinar o estudante que ele atende”, comenta a professora.

Leia também: Sala inteira aprende Libras para “cantar&” parabéns para estudante surdo no PR

Viviane e Carlos precisavam de verba e mão de obra pra desenvolver completamente o app. Foi quando a professora inscreveu o projeto na Maratona Unicef Samsung 2020, promovido pela ONU e que gera incentivo para desenvolvimento de novas tecnologias educacionais.

A ideia é fazer algo lúdico, com um mascote – chamado Thales – estimulando o usuário a responder questões de matemática, assim como mostrando algumas curiosidades de outros deficientes auditivos que são referências no Brasil. Carlos também gravará vídeos mostrando as sinalizações abordadas nos exercícios.

“Eu já havia participado do evento no ano anterior com um resultado bem interessante, então não medi esforços para participar novamente”, conta Viviane.

Leia também: Estudante se torna primeiro surdo a defender tese de doutorado na UFPE

Dos 314 projetos inscritos, o MatemáTIC foi escolhido e será um dos 20 apps desenvolvidos pela Samsung. “Nosso aplicativo de matemática e Libras não era só voltado à inclusão dos alunos surdos, mas tratava-se de um projeto no qual o surdo estava no papel de protagonista, e isso faria grande diferença”, falou Viviane.

O aplicativo já está em desenvolvimento e ainda passará por alguns ajustes, de acordo com a Samsung. “O objetivo do concurso era desenvolver aplicativos que atendessem a necessidade da educação e tivessem alguma acessibilidade, mas eles foram muito além”, comentou a representante da Samsung.

Veja o vídeo da final da maratona:

Fonte:https://razoesparaacreditar.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *