Professor do Recife adapta formato para distribuir 400 aulas gratuitas a estudantes cegos, surdos e excluídos digitais

Professor do Recife adapta formato para distribuir 400 aulas gratuitas a estudantes cegos, surdos e excluídos digitais

Professor Fernando Beltrão passou a adaptar as gravações e formato de entrega das aulas online –

Em vídeos de até oito minutos, gravados em casa, sem grandes produções, o professor pernambucano Fernando Beltrão começa a superar, mais uma vez, barreiras que parecem intransponíveis. O desafio sempre foi proporcionar educação formal a milhares de estudantes, democratizando até o acesso através de bolsas de estudo. Sócio de uma academia de estudos no Recife, ele agora quer fazer os seus conteúdos de biologia chegarem mais longe, na maneira mais adequada possível, a estudantes cegos, surdos e passíveis da exclusão digital. Para isso, 400 aulas abrangendo todo o cronograma de biologia do ensino médio estão sendo disponibilizadas gratuitamente para preparação dos estudantes ao Enem.

Para fernandinho, como popularmente é conhecido o professor, a iniciativa chega num momento oportuno. Longe fisicamente dos alunos por conta do novo coronavírus, as salas de aulas estão vazias, ao passo que as salas de transmissão de conteúdo online estão lotadas. Para quem pode ter acesso, a questão é só se adaptar ao novo formato. Para quem não tem, cria-se aí mais uma forma de exclusão.

“Há cinco anos, tudo que é ensinado no curso de forma presencial também é disponível online, mas nunca tinha pensado sobre como esse conteúdo não chega para todo o mundo. Quando chegou no começo da pandemia, não dava mais para fazer presencial. Eu esperava, sinceramente, que mais gente estivesse com oportunidade de fazer tudo online. A gente tem todos os anos muitas bolsas integrais para alunos de tudo quanto é escola de periferia. Quando começaram as aulas (só online) apareceu para mim alguns alunos dizendo que tinham dificuldade de acompanhar, porque os vídeos eram longos, travavam”, explica Fernandinho sobre o que norteia o primeiro pilar do seu projeto: a exclusão digital.

Para tentar facilitar a vida desses alunos e tanto outros jovens que precisam se preparar para o Enem e não têm bons meios para isso, a solução encontrada foi disponibilizar as aulas gratuitamente na internet. Os conteúdos continuam sendo publicados no canal da AcademiaFernandinhoBeltrão, no YouTube, mas esse agora não é o único formato.

“Muita gente tem dificuldade até de baixar aplicativos, não consegue assistir um vídeo porque a qualidade da internet não é boa. Então eu passei a fazer o seguinte, é só me pedir por WhatsApp. Mande uma mensagem para mim que envio para você todas as aulas. São conteúdos pequenos no formato de áudios de oito minutos, o que facilita para ouvir no celular de alguém da família, um amigo…”, explica o professor.

A partir desse primeiro facilitador veio outro questionamento – além da exclusão digital por conta de questões econômicas e sociais – sobre como ampliar o acesso aos conteúdos à parcela da população que por muitas vezes também se sente excluída por falta de direcionamento dos conteúdos publicados? “Há 25 anos trabalhei voluntariamente dando aula para cegos. Tive então a ideia de fazer algo mais polido. Separei todo o programa de biologia, tendo um livro didático mais palatável, de fácil acesso, como guia. Peguei os 50 capítulos do livro e dividi nas 400 aulas. Só que essas aulas preparei com o pensamento de ensinar aos cegos. Biologia tem um conteúdo muito visual, mas, para explicar para quem não vê, a maneira que encontrei foi dar aula de olhos fechados”, detalha Beltrão. O conteúdo também está sendo disponibilizado apenas em áudio em plataformas como o Spotify.

A expectativa do professor é de que cegos e também surdos possam ter acesso de forma mais fácil ao conteúdo. Para os surdos, o apoio, até então, demanda deles ainda o letramento, já que basicamente o conteúdo é aprendido através das legendas dos vídeos. “Até gostaria de ter um intérprete de libras, mas não tem com ter a pessoa praticamente morando comigo. Eu gravo a todo momento essas aulas. Mas houve a sugestão por parte dos alunos e colocar esse intérprete de libras. Eu peço a quem puder que faça. Pegue meu conteúdo e adapte para fazer chegar a outras pessoas, mesmo que cubra meu rosto. O que estou disponibilizando é um conteúdo aberto, para acesso de todos. Eu só não quero que cobrem por isso”, afirma.

Como acessar

As aulas de biologia do professor Fernando Beltrão estão sendo disponibilizadas no canal da Academia de Estudos Fernandinho Beltrão no Youtube, no perfil da academia no Instagram, no Spotify e via whatsapp, quando solicitado através do número (81) 9 8763-2674. São disponibilizados, por dia, de dois a 10 fragmentos de aula em vídeos e áudios.

“Eu tenho boa vontade. Isso não me habilita a dizer que é um material de alta qualidade. Tem boa vontade. Estou falando de peito e coração abertos, colocando a minha vivência e a minha cara nisso. Tem surgido muitas propostas interessantes para ampliar isso, com alunos e professores de outras matérias, mas se impactar apenas uma pessoa, para mim já valeu a pena.”

Enem

Em 2019, mais de 38 mil alunos demandaram recursos especiais para conseguir fazer a prova do Enem. Entre os serviços, são oferecidos provas impressas de forma ampliada, em braile, auxílio ledor, auxílio para transcrição, guia-intérprete, leitura labial libras e outros.

Para o Enem 2020, as inscrições já foram encerradas no dia 27 de maio, mas a aplicação do exame fora adiada. Entre os dias 20 e 30 de junho, os inscritos terão três opções de datas para votar, distribuídas entre os meses de dezembro deste ano, janeiro ou maio de 2021, considerando o adiamento das provas em 30, 60 ou 180 dias das datas previstas em edital, segundo o Inep.

Fonte: https://jc.ne10.uol.com.br/pernambuco/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *